24/10/07

OpenOffice.org desaparece do sistema e BrOffice não instala no Ubuntu 7.10

O Ubuntu 7.10 foi lançado, a comunidade instalou, e acontece que está cheio de bugs! Alguns dizem que o splash de boot não aparece em monitores CRT, outros dizem que a nova versão dá problema com o seu computador, bugs na extração de arquivos e por aí vai... Os bugs mais gritantes, considerando que o Ubuntu é uma distribuição desktop, são relativos à interface. Você clica no botão do compactador de arquivos para extrair e nada acontece, aí você muda de diretório e consegue extrair, estranho não? Agora o que está deixando as pessoas de cabelo em pé são os bugs com o OpenOffice.org e BrOffice.org. No meu computador já vi esses bugs, os ícones do OpenOffice.org desaparecem dos menus e ele não abre nem por linha de comando. O BrOffice.org dá conflito com o OpenOffice.org e não instala. Então eu dei um jeito nisso instalando os pacotes do BrOffice.org que estão disponívei em www.broffice.org. Aqui eu descrevo como eu fiz.

Primeiro, remova todos os pacotes com o nome openoffice.org-"alguma coisa".
após removê-los, baixe os pacotes .deb em http://www.broffice.org/download.

Descompacte o arquivo .tar.gz, e abra um terminal. Entre no diretório DEBS, que está dentro do diretório dos arquivos descompactados. Então digite:

$ sudo dpkg -i *.deb

Isto vai instalar os pacotes, depois vá no diretório desktop-integration e instale o pacote que está lá. Pronto! BrOffice funcionando traquilo!

18/10/07

Ubuntu 7.10 já está disponível

O Ubuntu 7.10 já está disponível para download!!! Para quem não conhece, o Ubuntu é a distribuição GNU/Linux mais popular do mundo, com uma grande base de usuários, sendo uma das melhores distribuições. O Ubuntu 7.10 está cheio de novidades, e agora, além do Kubuntu, Xubuntu e Edubuntu, temos o Gobuntu, que somente inclui software totalmente livre, de acordo com a Free Software Foundation.
Para conhecer melhor o Ubuntu, entre em www.ubuntu.com.
É recomendado baixar via Bittorrent, é bem mais rápido.

Links para download:

Ubuntu: http://www.ubuntu.com/getubuntu/download

Kubuntu: http://ubuntu.c3sl.ufpr.br/releases/kubuntu/gutsy/

Xubuntu: http://www.xubuntu.org/get#gutsy

Edubuntu: http://ubuntu.c3sl.ufpr.br/releases/edubuntu/gutsy/

Gobuntu: http://cdimage.ubuntu.com/gobuntu/releases/7.10/release/

12/10/07

O Livre-OS está traduzindo um jogaço, Cave Story! Daqui a um tempo vocês poderão jogar esse jogo em português!!! Para quem não conhece, Cave Story (Doukutsu Monogatari) é um jogo que foi produzido durante cinco anos por Studio Pixel, um japonês genial. Cave Story, é um jogo que mistura elementos de plataforma 2D, RPG, ação e aventura em um jogo fantástico! É como se fosse uma mistura totalmente nova de Super Metroid, Mega Man, Castlevania, Zelda, Super Mario World, tudo isso de uma forma muito original, quem quiser pode baixar o original em inglês para ter um gostinho da coisa.

Versão para Linux:

http://simonparzer.kilu.de/doukutsu-linux.tar.bz2 (Já traduzida em inglês)

Versão para M$ Windows

http://homepage2.nifty.com/rochet/storage/dou_1006.zip (Original)
http://agtp.romhack.net/download.php?id=cavestory (Tradução em inglês)

07/08/07

Internet Explorer

Quero contar para as pessoas minha experiência com o Internet Explorer.

Estou usando Ubuntu, e recentemente tive que acessar o site da Oi para me cadastrar numa promoção. Quando entro no site pelo Firefox, as páginas estão com coisas faltando, não aparece toda a pagina, só um cabeçalho lá. Então eu faço o download do Opera. A mesma coisa acontece. Tento pelo Epiphany, de novo. Então resolvi entrar no Windows e tentar pelo Internet Explorer. Incrivelmente funcionou. E isso não é motivo de alegria.

Fãs do windows que lêem este artigo vão dizer que o IE é o melhor. Mas não é o que ocorre. A microsoft durante todos esses anos de IE inventou várias extensões para o HTML, extensões proprietárias que somente o IE pode implementar. Então a web se desenvolveu voltada para o IE. E foi ficando claro que haviam páginas da web que só podiam ser visualizadas corretamente com o IE. Que tipo de monopólio é esse? A microsoft quer monopolizar também a web? O Firefox teve de ser desenvolvido para trabalhar com uma web construída para o IE, o Opera também. É vergonhoso como as organizações reguladoras internacionais não fizeram nada a respeito. Existe um padrão para a web, uma especificação feita por esses orgãos. Todas as páginas deviam ser feitas com os padrões especificados, e não com extensão proprietária que só roda em navegador proprietário. O java só foi largamente adotado depois que licenciado na GPL, quando implementações livres já estavam ganhando popularidade. Tudo isso nos leva a perceber como é nocivo esse modelo proprietário. É um modelo que gera despadronização, gera monopólio, gera desigualdade, uma vez que nem todos podem comprar o windows. Tecnologias abertas são padronizadas, permite a concorrência e permite a todos o seu uso.

Podemos analisar o caso de quem compra um computador hoje. Um computador mínimo hoje sai em torno dos R$ 1000, ou até menos. Se adicionado o valor de um Sistema Operacional proprietário, chegamos a R$ 1600, se for o XP, se for o Vista nem se fala... E ainda mais que temos que fazer download de muitos softwares e até comprar alguns, se necessário. Com o software livre, continuamos com o valor de R$ 1000, podemos arranjar um sistema operacional livre com um amigo, ou comprar CDs ou DVDs que custão no máximo R$ 20. E saímos ganhando porque as distribuições possuem um número incontável de pacotes de software, incluindo aplicativos que se fossem comprados, custariam mais de R$ 2000, no caso do M$ Office e do Photoshop. Programas equivalentes e igualmente poderosos estão disponíveis de graça nos sistemas livres. E quanto mais gente usando sistemas livres melhor, a comunidade cresce e temos cada vez mais suporte, tanto das pessoas como das empresas, como a Red Hat e a Canonical.

Incentivem cada vez mais as pessoas a usarem Linux ou outros sistemas livres. Só assim podemos fugir do monopólio, da má qualidade e do mau suporte do software proprietário. Podemos construir uma sociedade onde todos podem ter acesso às tecnologias da informação se usarmos software livre.